A Suprema Corte retira da SEC ferramenta crítica de aplicação da lei em casos de fraude

junho 27, 2024
2 minutos lidos
A Suprema Corte retira da SEC ferramenta crítica de aplicação da lei em casos de fraude


Policiais estão atrás de barricadas em frente à Suprema Corte na quinta-feira, 27 de junho de 2024, em Washington. (Foto AP/Mark Schiefelbein)

WASHINGTON (AP) – O Supremo Tribunal retirou na quinta-feira à Comissão de Valores Mobiliários uma ferramenta importante na luta contra a fraude de valores mobiliários, numa decisão que também pode ter efeitos de longo alcance sobre outras agências reguladoras.

Os juízes decidiram numa votação de 6-3 que as pessoas acusadas de fraude pela SEC, que regula os mercados de valores mobiliários, têm direito a um julgamento com júri num tribunal federal. Os procedimentos internos que a SEC utilizou em algumas alegações de fraude civil violam a Constituição, disse o tribunal.

A SEC recebeu mais de US$ 5 bilhões em penalidades civis no ano de gastos do governo de 2023, encerrado em 30 de setembro, disse a agência em um comunicado à imprensa. Não ficou claro quanto desse dinheiro veio de processos internos ou ações judiciais em tribunais federais.

A agência já havia reduzido o número de processos que arquiva em processos administrativos que aguardam resolução do caso pelo Supremo Tribunal Federal.

O caso é um dos vários neste período em que interesses conservadores e empresariais estão instando o tribunal de nove membros a restringir os reguladores federais. Os seis conservadores do tribunal já os refrearam, inclusive numa decisão do ano passado que limitou drasticamente a capacidade dos reguladores ambientais de controlar a poluição da água nas zonas húmidas.

O tribunal superior rejeitou os argumentos apresentados pela administração democrata do presidente Joe Biden que se baseavam numa decisão de 50 anos, na qual o tribunal decidiu que os processos internos não violavam o direito constitucional a um julgamento com júri em processos civis.

Os juízes decidiram no caso do gestor de fundos de hedge de Houston, George R. Jarkesy. A SEC recorreu ao Supremo Tribunal depois de um painel dividido do Quinto Circuito do Tribunal de Apelações dos EUA, com sede em Nova Orleães, ter rejeitado duras sanções financeiras contra Jarkesy e o seu consultor de investimentos Patriot28.

O tribunal de apelações decidiu que o caso da SEC contra Jarkesy, que resultou em uma multa civil de US$ 300.000 e no reembolso de US$ 680.000 em ganhos supostamente ilícitos, deveria ter sido ouvido no tribunal federal, em vez de perante um dos juízes do direito administrativo. SEC.

Os advogados de Jarkesy observaram que a SEC vence quase todos os casos que leva perante juízes de direito administrativo, mas apenas cerca de 60% dos casos julgados em tribunais federais.

O tribunal de apelações também disse que o Congresso deu inconstitucionalmente à SEC “autoridade ilimitada” para decidir se o caso deveria ser julgado em um tribunal ou tratado dentro da agência do poder executivo. E ele disse que as leis que protegem os juízes de direito administrativo da comissão de serem demitidos pelo presidente são inconstitucionais.

Estas questões não receberam praticamente nenhuma atenção durante as discussões de Novembro, e o tribunal decidiu resolver o caso apenas com base no direito a um julgamento com júri.

___

Acompanhe a cobertura da AP sobre a Suprema Corte dos EUA em



quitar empréstimo banco do brasil

empréstimo aposentado banco do brasil

emprestimo itau simulação

ggbs consignado

o’que é emprestimo sim digital

juros de emprestimo banco do brasil

juro empréstimo

redução de juros empréstimo consignado

Crédito consignado
Inss emprestimo consignado. Qual o numero maximo de parcelas para emprestimo consignado.