USMNT x Bolívia: relatório de observação sobre adversários da Copa América, o que saber, formação, melhores jogadores

junho 23, 2024
9 minutos lidos
USMNT x Bolívia: relatório de observação sobre adversários da Copa América, o que saber, formação, melhores jogadores


imagens falsas

A seleção masculina dos EUA terá de esperar até domingo para começar a campanha na Copa América contra a Bolívia, no Texas, mas os homens de Gregg Berhalter valorizarão as chances de terminar entre os dois primeiros do Grupo C e esperam que o Uruguai seja o principal rival. Enfrentar o Panamá contra a Celeste de Marcelo Bielsa é o ideal, pois dá ao Stars and Stripes a oportunidade de somar pontos no placar e uma possível vaga nas quartas de final garantida antes de enfrentar o adversário mais difícil, no papel. Uma vaga nas quartas de final levaria a USMNT ao Brasil, Colômbia, Paraguai ou Costa Rica, com os brasileiros e colombianos com maior probabilidade de terminar nas duas primeiras posições do Grupo D.

Primeiro, porém, todos precisam seguir em frente, o que significa focar nos rivais do Grupo C da USMNT.

Bolívia (domingo, 23 de junho às 18h horário do leste dos EUA)

O primeiro adversário da USMNT não causará medo em muitos torcedores de futebol americanos, mas os bolivianos podem ser aqueles a serem observados no futuro, com uma série de jovens talentos surgindo atualmente.

  • Treinamento: 3-1-4-2
  • Ideal XI: Viscarrá; Jesús Sagredo, Haquín, José Sagredo; Justiniano; Cuéllar, Fernández, Saucedo, Matheus; Menacho, Miranda.
  • Forma: Os homens de Antonio Carlo Zago perderam por 1 a 0 para o México, 3 a 1 para o Equador e 3 a 0 para a Colômbia na preparação, o que não é um bom presságio e eles estão em penúltimo lugar nas eliminatórias da CONMEBOL para a Copa do Mundo de 2026, então. não espere vê-los nisso também. No entanto, eles não devem ser considerados desistências ou a USMNT poderá perder pontos valiosos por complacência.
  • Jogadores para assistir: Boris Céspedes e Roberto Fernández são talentos europeus e algumas das figuras mais importantes, enquanto Miguel Terceros, Gabriel Villamil e Jaume Cuellar são jovens talentosos que também exercem a sua profissão fora dos seus países de origem. Cuellar nasceu na Espanha e é um exemplo de como a Bolívia começa a naturalizar potenciais talentos para fazer parte desta nova geração que está surgindo.
  • Estilo de jogo: Uma rápida olhada na sua formação mostra que se trata de uma equipe defensiva, o que não surpreende visto que Zago também era zagueiro. Sem o recém-aposentado Marcelo Moreno, não há nenhuma ameaça óbvia de gol, o que é problemático dado o seu histórico de gols muito superior ao de qualquer outro companheiro de equipe internacional enquanto estiver ativo.
  • Forças: Esta é uma equipa jovem que sugere que pode crescer e ser mais forte no futuro e esse será o objetivo aqui. No entanto, será necessário fazer progressos e uma sucessão de derrotas difíceis não será considerada verdadeiramente construtiva.
  • Fraquezas: Esta equipa baseia-se principalmente no mercado interno, sugerindo que é difícil para muitos destes talentos desenvolverem-se adequadamente. A Copa América é uma vitrine ideal para esses jogadores, pois suas atuações poderão ser recompensadas com jogadas que lhes permitam avançar na carreira.
  • Melhor acabamento: Vencedora em 1963, vice-campeã em 1997 e quartas de final em 2015, a Bolívia tem pedigree. No entanto, a realidade é que três eliminações consecutivas da fase de grupos entre 2016 e 2021 tornam-nos hoje relativamente peixinhos.

Panamá (quinta-feira, 27 de junho às 18h horário do leste dos EUA)

Familiarizado com a USMNT da região da CONCACAF, esta é apenas a segunda participação do Panamá na Copa América e espera-se que termine atrás dos Estados Unidos e do Uruguai. O mais provável é uma batalha com a Bolívia para evitar terminar em último.

  • Treinamento: 3-4-2-1
  • Ideal XI: armadilha para mosca; Harvey, Córdoba, Miller; Murillo, Martínez, Godoy, Davis; Bárcenas, Díaz; Fajardo.
  • Forma: Com uma vitória por 2 a 0 sobre a Guiana, uma vitória por 3 a 1 sobre Montserrat e uma derrota por 1 a 0 para o Paraguai, uma combinação de vitórias para aumentar o moral foi confrontada com a realidade de uma derrota para um dos países sul-americanos mais fracos. Os paraguaios são indiscutivelmente mais fortes do que a Bolívia, o que é motivo de optimismo, mas existe um abismo entre o Panamá e o Uruguai, bem como entre os Estados Unidos.
  • Jogadores para assistir: Michael Amir Murillo do Marselha é um nome chave, enquanto Aníbal Godoy do Nashville SC é o capitão e Yoel Bárcenas é um rosto familiar da Liga MX do Mazatlán, mas esta é uma equipa sem talentos locais e com jogadores espalhados por vários continentes.
  • Estilo de jogo: O Panamá pretende ser sólido e difícil de quebrar, por isso grande parte do seu foco está no meio-campo, o que se reflete no meio-campo de quatro homens à frente de três zagueiros centrais. É uma abordagem que tem sido bem sucedida quando utilizada por equipas como Atalanta BC e RC Lens na Europa, mas requer a qualidade necessária para o conseguir.
  • Forças: Como referido, ter muitas das principais peças de qualidade da equipa no meio-campo faz com que esta seja a sua posição mais valiosa. No entanto, a configuração também determina que são necessários jogadores muito aptos para serem capazes de realmente ter um desempenho no nível ideal e tirar o máximo proveito desta configuração tática.
  • Fraquezas: Fora do time titular e mesmo em certas posições, não há muita profundidade, o que significa que quaisquer problemas físicos ou suspensões podem custar caro.
  • Melhor acabamento: Há apenas uma partida digna de nota para o Panamá, já que a fase de grupos de 2016 mostrou uma vitória e duas derrotas para o seu nome.

Uruguai (segunda-feira, 1º de julho, às 21h horário do leste dos EUA)

Indiscutivelmente a principal ameaça à USMNT e facilmente o time mais reconhecido neste grupo, juntamente com o técnico de maior destaque, o La Celeste é forte o suficiente para ser considerado um favorito ao primeiro lugar. Bielsa está a supervisionar uma mudança geracional à medida que figuras como Edinson Cavani partem e Luis Suárez chega ao fim do seu mandato como talismã da sua nação. Essa mudança de guarda significa que os uruguaios são um trabalho em andamento, embora tenham qualidade indiscutível em suas fileiras.

  • Treinamento: 4-2-3-1
  • Onze inicial ideal: Rochet; Nández, Giménez, Araujo, Olaza; Bentancur, Ugarte; Pellistri, Valverde, Suárez; Nuñez.
  • Forma: Um empate sem gols com a Costa Rica e uma goleada de 4 a 0 sobre o México deram início a este torneio, mas o Uruguai também teve uma pausa bastante longa antes da primeira partida. Atualmente em segundo lugar na disputa por uma vaga na Copa do Mundo FIFA de 2026, os homens de Bielsa são um dos times em boa forma do futebol sul-americano no momento.
  • Jogadores para assistir: Suárez precisa de poucas apresentações ao público americano, principalmente agora que joga ao lado de Lionel Messi mais uma vez pelo Inter Miami na Major League Soccer. A ex-estrela do Barcelona e do Liverpool venceu praticamente tudo, mas ainda está motivada o suficiente para continuar jogando. A atual estrela dos Reds, Darwin Nunez, lidera a nova geração de talentos e ajudou a aliviar o golpe da aposentadoria de Cavani. Federico Valverde venceu a UEFA Champions League com o Real Madrid e enfrenta regularmente Barcelona e Ronald Araujo na La Liga, onde os Los Blancos também se sagraram campeões com a chave de Valverde.
  • Estilo de jogo: Normalmente, as equipes de Bielsa são quase sempre aceleradas e muito físicas até quebrarem fisicamente, que foi o que vimos no Leeds United, mas também no Olympique de Marselha. Os atributos naturais do Uruguai enquadram-se bem nesta filosofia, enquanto o facto de ser um futebol internacional torna a abordagem de Bielsa semi-sustentável, o que não é o caso a nível de clubes.
  • Forças: Com tanta qualidade baseada na Europa, o Uruguai tem indiscutivelmente um dos pedigrees mais fortes da Copa América e um talento reconhecível em todas as posições. Com um treinador de renome mundial como Bielsa, é fácil perceber porque muitos os consideram favoritos para terminar à frente da USMNT no Grupo C.
  • Fraquezas: Embora haja muitos talentos surgindo, ainda existe uma dependência excessiva do veterano Suarez no ataque. Cavani pode ter partido agora, o que é um talento envelhecido, mas esta equipe só passará o bastão quando seu talismã se despedir depois de uma carreira impressionante no clube e na seleção.
  • Melhor acabamento: Os uruguaios venceram 15 vezes, o melhor número junto com a atual campeã Argentina, e a La Celeste venceu pela última vez em 2011.





menor taxa de juros empréstimo consignado

simulação emprestimo itau

banco itaú empréstimo

taxa emprestimo

emprestimo para funcionario publico municipal

o que é renovação de empréstimo com troco

empréstimo melhor taxa

taxa de juros emprestimo consignado bradesco

juros empréstimo banco

Crédito consignado
O que é refinanciamento de emprestimo consignado. Empréstimo na conta de luz cpfl.