Primeiros pedaços do lado oculto da Lua chegam na Terra; veja imagens

junho 26, 2024
5 minutos lidos
Primeiros pedaços do lado oculto da Lua chegam na Terra; veja imagens


A China se tornou o primeiro país do mundo a obter amostras do outro lado da Lua. Conforme relatado por Olhar digital, nesta terça-feira (25), a cápsula da missão Chang’e-6 pousou na Mongólia três semanas após decolar do satélite natural. Nesta quarta-feira (26), foram reveladas as primeiras imagens do objeto no solo.

O pouso ocorreu às 03h07 no horário de Brasília. A cápsula possuía pára-quedas para reduzir a velocidade antes de atingir o solo. “A missão de exploração lunar Chang’e-6 foi completamente bem-sucedida”, disse Zhang Kejian, diretor da Administração Espacial Nacional da China, controle da missão.

Uma bandeira chinesa tremula ao lado da cápsula de retorno de amostras Chang'e-6 após seu pouso na Mongólia Interior.  (CFTV/CNSA via Weibo)
Uma bandeira chinesa tremula ao lado da cápsula de retorno de amostras Chang’e-6 após seu pouso na Mongólia Interior. (CFTV/CNSA via Weibo)

Como Chang’e-6 passou pelo outro lado da Lua

  • Como Olhar digital relatou, a sonda chinesa pousou com sucesso na Lua em 1º de junho e começou a coletar amostras;
  • Segundo a CNSA, a sonda armazenou as amostras em um contêiner dentro de seu elevador;
  • Depois, o contêiner foi transferido para uma cápsula de reentrada na órbita terrestre;
  • Segundo a agência de notícias estatal chinesa Xinhua, Chang’e-6 pousou na Bacia do Pólo Sul-Aitken, uma cratera de impacto na Lua que existe há mais de quatro bilhões de anos. Tem 13 quilômetros de profundidade e 2.500 quilômetros de diâmetro;
  • Vale ressaltar que as missões no outro lado da Lua são mais difíceis, pois, justamente por não estar voltado para a Terra, necessitam de satélites retransmissores para manter as comunicações, sem contar que o terreno é (ainda mais) acidentado, dificultando pousos difícil.

Apesar da necessidade de um satélite retransmissor para se comunicar com a Terra no outro lado da Lua, o Chang’e-6 melhorou a autonomia, de modo que é menos dependente do satélite retransmissor chinês Queqiao-2, além do apoio terrestre, disse Huang Hao, especialista espacial da Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China (CASC), disse à agência de notícias estatal da China.

Como dito anteriormente, estava previsto o pouso da sonda na Mongólia Interior, bem como a data em que aconteceria. Ó Olhar digital falei sobre esse assunto aqui.

Consulte Mais informação:

Sonda lunar da China: próximos passos

A CNSA disse ainda que assim que todo o trabalho de solo a ser realizado com o Chang’e-6 estiver concluído, ele será transportado de avião para Pequim, onde o contêiner de amostra e sua carga serão removidos.

A nota da agência aponta ainda que, após estes procedimentos, a Administração Espacial Nacional da China realizará uma cerimônia, na qual entregará formalmente as amostras de rochas do outro lado da Lua ao sistema de aplicação terrestre para armazenamento, análise e pesquisa.





empréstimo empresa privada

consulta bpc por nome

emprestimo consignado caixa simulador

seguro cartão protegido itau valor

itaú portabilidade consignado

simular emprestimo consignado banco do brasil

empréstimo consignado menor taxa

Crédito consignado
Simular fgts saque aniversario. Empréstimo conta de luz cpfl.