A decisão de imunidade de Trump está em jogo enquanto a Suprema Corte limita seu mandato

julho 1, 2024
3 minutos lidos
A decisão de imunidade de Trump está em jogo enquanto a Suprema Corte limita seu mandato



A Suprema Corte decidirá na segunda-feira se o ex-presidente Trump tem imunidade contra processos criminais, uma decisão monumental que ocorre poucos dias depois de o tribunal ter rejeitado uma decisão que lançou dúvidas sobre as acusações contra centenas de manifestantes de 6 de janeiro e o próprio Trump.

Há tanta coisa em jogo quanto Trump O pedido do tribunal é amplo.. O ex-presidente está implorando ao tribunal que rejeite seu caso federal de 6 de janeiro com suas reivindicações de imunidade.

Embora o tribunal possa rejeitar a ampla imunidade solicitada por Trump, vários juízes apontou uma abertura durante argumentos de abril para criar alguma forma de proteção contra processos criminais para ex-executivos.

“A questão, como temos explorado um pouco aqui hoje, é como segregar a conduta privada da conduta oficial que pode ou não gozar de alguma imunidade”, disse o juiz Neil Gorsuch, um dos seis conservadores do tribunal, em Abril. .

A decisão sobre imunidade surge imediatamente após outro caso relacionado a 6 de janeiro foi decidido na sexta-feira Isso reduziu o recurso à obstrução de uma acusação processual oficial apresentada contra muitos dos que invadiram o Capitólio.

“Boas notícias!” Trump escreveu no Truth Social reagindo à decisão da Suprema Corte.

Também se segue ao debate presidencial de quinta-feira, onde um desempenho instável do presidente Biden deixou alguns democratas mais preocupados do que nunca com a possibilidade de Trump vencer as eleições em novembro e ganhar mais quatro anos na Casa Branca.

O Supremo Tribunal normalmente conclui a sua tomada de decisão de verão no final de junho, mas é indo para a prorrogação comentar diretamente o caso de Trump, refletindo se ele está completamente imune às acusações.

O presidente do Supremo Tribunal, John Roberts, anunciou na sexta-feira que “todas as opiniões restantes” da Suprema Corte serão emitidas na segunda-feira, a partir das 10h EDT. A decisão sobre imunidade desaparecerá junto com as decisões de outros três casos que foram ouvidos.

Os juízes passaram muito tempo em Abril a questionar que acções seriam qualificadas como oficiais para as quais um presidente poderia desfrutar de imunidade, em comparação com acções pessoais para as quais ele não o faria.

A equipe jurídica de Trump sugeriu durante as discussões que mesmo um presidente que ordenasse o assassinato de seu rival político poderia ser protegido de processo.

Parece improvável que o tribunal leve o caso a esse extremo lógico, mas mesmo uma decisão mais matizada poderia trazer benefícios para Trump, que em todos os seus casos criminais adotou uma estratégia de procurar atrasos sempre que possível.

O tribunal poderia detalhar um teste de imunidade que oferece algumas proteções a um ex-presidente, enviando o caso de volta ao tribunal distrital para que a juíza Tanya Chutkan avalie se as ações de Trump atendem aos seus critérios.

Isso poderá resultar numa longa batalha na qual Chutkan determinará que Trump ainda não está imune a processos judiciais e enfrentará novamente um recurso para o tribunal superior.

Trump apresentou repetidamente a sua defesa de imunidade no Truth Social desde as alegações orais em Abril, mas os juízes ainda não anunciaram a sua decisão. o assunto não apareceu no debate presidencial de quinta-feira.

O tribunal na sexta-feira também ofuscou uma das quatro acusações que Trump enfrenta no caso de interferência eleitoral ao se aliar a outro réu de 6 de janeiro que lutava pela mesma acusação.

Cinco dos seis conservadores da Suprema Corte, junto com o juiz liberal Ketanji Brown Jackson, disseram que o Departamento de Justiça havia sobrecarregado a lei, colocando em dúvida os casos de mais de 300 réus em 6 de janeiro.

Trump é acusado de violar a mesma disposição da lei, a Secção 1512(c)(2), bem como outra subsecção do mesmo estatuto. Ele se declarou inocente.

A decisão de 6 de janeiro anunciada na sexta-feira devolve o caso de Joseph Fischer, um ex-policial acusado de invadir o Capitólio em 6 de janeiro, a um tribunal de primeira instância para análise posterior.

Numa opinião concordante, Jackson disse que a decisão não impede a acusação ao abrigo da Secção 1512(c)(2), e escreveu que a acusação “permanece disponível” para consideração pelos tribunais inferiores.

Além do caso de imunidade de Trump, os juízes também estão avaliando a constitucionalidade das leis de mídia social aprovadas na Flórida e no Texas que restringem a forma como as grandes plataformas podem moderar o conteúdo em relação às preocupações conservadoras de que estavam sendo censuradas.

E num caso observado de perto por interesses anti-reguladores, o tribunal superior decidirá quando o prazo de prescrição começará a vigorar para contestações a regulamentos governamentais ao abrigo da Lei de Procedimento Administrativo.



quitar empréstimo banco do brasil

empréstimo aposentado banco do brasil

emprestimo itau simulação

ggbs consignado

o’que é emprestimo sim digital

juros de emprestimo banco do brasil

juro empréstimo

redução de juros empréstimo consignado

Crédito consignado
Simulação emprestimo fgts caixa. Emprestimo saque aniversário caixa.