O Irã realizará o segundo turno das eleições presidenciais entre o reformista Pezeshkian e o intransigente Jalili

junho 29, 2024
3 minutos lidos
O Irã realizará o segundo turno das eleições presidenciais entre o reformista Pezeshkian e o intransigente Jalili


Enquanto os votos ainda estão a ser contados nas eleições presidenciais do Irão, no sábado, o único candidato reformista, Masoud Pezeshkian, apresenta um desempenho inesperadamente forte. Logo atrás dele está o ex-negociador nuclear e linha dura Saeed Jalili.

Os dois caminham para um segundo turno das eleições presidenciais na sexta-feira para substituir o falecido presidente linha-dura Ebrahim Raisi, que morreu em um acidente de helicóptero em maio.

Mohsen Eslami, porta-voz eleitoral, anunciou que foram emitidos 24,5 milhões de votos, dos quais Pezeshkian recebeu 10,4 milhões, enquanto Jalili recebeu 9,4 milhões, informou a Associated Press. A lei iraniana exige que o vencedor obtenha mais de 50% de todos os votos expressos. Caso contrário, os dois principais candidatos da disputa avançarão para um segundo turno uma semana depois.

Sabe-se que Pezeshkian quer tirar o Irão do frio das sanções internacionais e melhorar as relações com o Ocidente.

Isso fez dele a escolha óbvia para Nima Saranghi, que trabalha com marketing.

“Decidi votar por um futuro melhor para o nosso país”, disse ele à CBS News. “Talvez [Pezeshkian and his team] “Podemos trabalhar juntos e resolver problemas com o Ocidente.”

Isso inclui tentar reviver o acordo nuclear que foi abandonado unilateralmente pelo ex-presidente Donald Trump em 2018.

Dia da eleição presidencial iraniana
Uma imagem de candidatos iranianos em uma seção eleitoral em Teerã durante as eleições presidenciais do Irã em 28 de junho de 2024. Cerca de 61 milhões de iranianos podem votar nas eleições presidenciais antecipadas para eleger o próximo presidente após a morte de Ebrahim, Raisi, em um acidente de helicóptero.

HOSSEIN BERIS/Middle East Images/AFP via Getty Images


Pezeshkian terminou com o maior número de votos, embora o líder supremo, aiatolá Ali Khamenei, tenha intervindo no início da semana dizendo que as pessoas que defendiam melhores relações com o Ocidente não eram adequadas para liderar.

“Alguns políticos do nosso país acreditam que devem curvar-se a este ou aquele poder e que é impossível progredir sem se apegar a países e potências famosos”, disse ele. “Alguns pensam assim. Ou pensam que todos os caminhos para o progresso passam pelos Estados Unidos. Não. Essas pessoas não podem governar bem o país.”

Os iranianos que votaram a favor da reforma também querem mais liberdades seculares, mas um segmento conservador da população opõe-se obstinadamente.

Dia da eleição presidencial iraniana
Um iraniano faz um sinal de vitória depois de votar em uma seção eleitoral em Teerã durante as eleições presidenciais do Irã em 28 de junho de 2024.

HOSSEIN BERIS/Middle East Images/AFP via Getty Images


Saana Hodaverdian votou num candidato que, acima de tudo, defende um Estado islâmico estrito.

“Só quero alguém que possa apoiar as minhas crenças religiosas, bem como abordar as prioridades industriais e económicas”, disse ele.

Todos os iranianos concordam que a economia do país é fraca e a vida é rotineira. Eles não concordam com a solução.

Dia da eleição presidencial iraniana
Uma mulher iraniana vota em uma seção eleitoral em Teerã durante as eleições presidenciais do Irã em 28 de junho de 2024.

HOSSEIN BERIS/Middle East Images/AFP via Getty Images


Os conservadores acreditam que a abertura à Europa e aos Estados Unidos corre o risco de minar os valores islâmicos da revolução. Apegam-se à crença na chamada auto-suficiência; uma política em grande parte feita no Irão com a ajuda de aliados como a China e a Rússia.

O Irão é um país dividido, liderado por um Líder Supremo cujos valores apenas os conservadores partilham.

Tomemos por exemplo a controversa questão do vestuário feminino. Os puristas islâmicos usam o xador preto completo e um cocar que impede que o cabelo seja visto.

Essa aparência é completamente rejeitada pelas mulheres reformistas que cobrem os braços e as pernas nus com vestidos ocidentais e cobrem os cabelos com lenços soltos.

Em 2022, eclodiram grandes revoltas de rua em protesto contra a morte de uma jovem, Mahsa Amini, que morreu sob custódia policial depois de ter sido presa por roupas islâmicas insuficientes.

Embora as manifestações tenham sido reprimidas por uma repressão violenta por parte das autoridades, muitas mulheres continuaram a protestar recusando-se a usar o lenço na cabeça, embora também corressem o risco de serem presas.

Sábados A polarização da votação no primeiro turno reflete A trágica divisão do Irão. Quem quer que ganhe a presidência no segundo turno da próxima semana enfrentará uma difícil batalha para formular políticas aceitáveis ​​para ambos os lados.



antecipação décimo terceiro itau

juros emprestimo consignado banco central

empréstimo consignado bradesco simulação

banco pan faz empréstimo pelo whatsapp

simulação emprestimo itau consignado

se eu quitar um empréstimo posso fazer outro

menor taxa de juros consignado 2023

emprestimo consignado simulação caixa

Crédito consignado
Whatsapp rge cpfl. Propaganda de emprestimo consignado.