UFC 303 – Alex Pereira vs. Jiri Prochazka: Cinco maiores histórias para assistir na International Wrestling Week

junho 25, 2024
8 minutos lidos
UFC 303 – Alex Pereira vs.  Jiri Prochazka: Cinco maiores histórias para assistir na International Wrestling Week



Apesar da flagrante falta de Conor McGregor no card pay-per-view anual do UFC International Fight Week em Las Vegas, a principal promoção do esporte ainda traz um evento cheio de ação no retorno de sábado ao T-Mobile Sand.

Depois que McGregor desistiu do tão esperado retorno contra Michael Chandler com uma lesão no dedo do pé, o rei dos meio-pesados ​​Alex Pereira aceitou a convocação em curto prazo para substituir “The Notorious” na luta principal, quando enfrentar o ex-campeão Jiri Prochazka em uma revanche pelo título de 205 libras. Dois emocionantes pesos penas ocuparão a vaga no co-evento principal quando Brian Ortega e o fervoroso Diego Lopes se enfrentarem.

À medida que a vitrine anual de verão está quase concluída, vamos dar uma olhada nas maiores histórias deste fim de semana.

1. Alex Pereira ainda é o herói que os fãs do UFC merecem

Quem você vai chamar? Quando o UFC precisa dele, eles chamam de “Poatan”, e o campeão brasileiro das duas divisões continua atendendo ao chamado de forma histórica. O que foi uma loucura quando Pereira resgatou a promoção em abril ao assinar para se tornar uma adição tardia à luta principal contra Jamahal Hill no UFC 300, foi que mais tarde foi relatado que Pereira estava com um dedo do pé quebrado. Pereira quebraria um dedo do pé extra durante uma vitória por nocaute no primeiro round há apenas dois meses, mas eles concordaram com a rápida reviravolta (depois que McGregor se retirou, ironicamente, da mesma lesão) por causa da rapidez com que ele abriu sua janela para maximizar seu potencial na idade 36 está fechando. No octógono desde sua estreia em 2021, Pereira chegou perto da perfeição, vencendo sete vezes, incluindo três vezes em lutas pelo título em duas divisões, incluindo cinco vitórias sobre ex-campeões. Lembra-se da época em que os críticos discutiam se a falta de experiência de luta de Pereira lhe custaria o octógono? Em vez disso, ele superou quase todos os desafios que lhe foram apresentados. E ele até se recuperou muito do que poderia ter sido uma derrota desastrosa quando foi nocauteado por Israel Adesanya na revanche de 2023, apenas para reivindicar o título mundial na segunda divisão apenas sete meses depois.

2. Existe uma janela para Pereira fazer uma grande história

Provavelmente lhe levaria uma segunda vitória sobre Prochazka em um período de oito meses, mas Pereira, se continuar em sua forma dominante, fica mais perto de um novo sonho que poderia ser possível. A maioria dos críticos debateu se Jon Jones deveria ter permissão para defender o título dos pesos pesados ​​contra Stipe Miocic no final deste outono, considerando que ele pressionou com tanta força pela aposentadoria e evitou abertamente qualquer conversa sobre lutar contra o atual campeão Tom Aspinall. Mas você consegue imaginar o tipo de discussão que poderia acontecer se Pereira derrotasse Prochazka pela segunda vez e pedisse publicamente ao UFC que o contratasse no peso pesado? Ninguém na história do UFC conquistou títulos em três categorias de peso, o que tornaria a ideia de uma luta entre Jones e Pereira muito especial se os dois campeões em título defendessem seus respectivos títulos. Mas considerando que Jones é cada vez mais considerado o GOAT do MMA, uma vitória sobre ele no peso pesado pode ser a passagem (e única chance) de Pereira para roubar uma coroa tão elevada de “Bones”. O fato de isso ser remotamente possível mostra o quão incrível tem sido o sucesso de Pereira no UFC em pouco mais de três anos.

3. A breve recuperação deverá ter o mesmo efeito em Pereira e Prochazka

Embora tenha sido Pereira quem respondeu quando questionado há cerca de dois meses quando nocauteou o ex-campeão Hill no UFC 300 em Las Vegas, Prochazka marcou um chute poderoso de Alexsandr Rakic naquela mesma noite na luta preliminar em destaque. Além dos problemas persistentes de Pereira com dedos quebrados, a dupla de rebatedores meio-pesados ​​enfrentará a mesma mudança depois que ambos concordaram em substituir a luta McGregor-Chandler a apenas 17 dias de distância. O que seria mais preferível do ponto de vista da divisão é que os dois finalizassem mais perto depois que a paralisação de Prochazka por Pereira no segundo round no UFC 295 foi inicialmente considerada polêmica depois de nunca ter aparecido que o nativo da República Tcheca havia saído após ser acertar com golpes limpos. Prochazka, porém, confirmaria isso mais tarde durante a coletiva de imprensa pós-luta, eliminando grande parte do debate sobre a decisão do árbitro Mark Goddard. De qualquer forma, Prochazka, 31, entrando apenas em sua sexta participação no UFC no geral, tem uma chance acelerada de recuperar o título que perdeu inicialmente em 2022 devido a uma lesão.

4. Alerta de explosivo: Brian Ortega-Diego Lopes será puro fogo de artifício

Ele pode não ser o lutador mais ativo do elenco do UFC, mas Ortega é certamente um dos mais empolgantes que a promoção tem a oferecer. Seu cartão amarelo de última hora contra o explosivo Lopes é simplesmente um confronto perfeito, já que Ortega, que voltou de quase dois anos afastado para finalizar Yair Rodríguez na revanche de fevereiro, parece renascer aos 33 anos. Mas o duas vezes desafiante ao título com 145 libras será forçado a entrar como o ligeiro azarão nas apostas, dada a sequência que o brasileiro de 29 anos teve nos últimos 11 meses, que inclui três vitórias consecutivas sobre Gavin Tucker, Pat Sabatini e Sodiq Yusuff. A reviravolta para Lopes também é breve, de dois meses, já que ele finalizou Yusuff no UFC 300. Mas também dá a Lopes, que entra na 14ª posição, uma rara oportunidade de derrotar alguém do top 3. E do ponto de vista de vista do chiqueiro. , isso não poderia ser melhor. Os dois adoram deixar as mãos nos pés, mas ambos são ainda mais perigosos no chão nas finalizações. A luta provavelmente se resumirá a saber se o veterano Ortega consegue limitar seus métodos de ação por tempo suficiente para não se deixar levar tão facilmente para a guerra.

5. Caminhos diferentes, mesmo confronto de objetivos entre Ian Machado Garry e Michael “Venom” Page

Vamos falar sobre uma grande encruzilhada para o vencedor catapultar a disputa pelo título dos 170 libras. Page, veterano destaque do Bellator no MMA, não tem muito tempo, já que tem 37 anos e apenas três meses de uma vitória impressionante sobre Kevin Holland em sua estreia no UFC. Garry, por sua vez, é o próximo grande sucesso da Irlanda, 26 anos, com um recorde geral de 14-0 e invicto em sete viagens ao octógono. Ambos os lutadores poderiam alcançar vitórias que provavelmente seriam consideradas as maiores de suas respectivas carreiras. A questão se resume a saber se Page pode confiar na ameaça de seu estilo de ataque explosivo e imprevisível por tempo suficiente para desarmar Garry ou se o jovem irlandês tem poder de fogo para fazer uma declaração importante.





como fazer um empréstimo no bradesco

emprestimo pessoal manaus

simulador de emprestimo consignado da caixa

banco pan dívidas

financeiras para empréstimos

aumento salarial pmmg 2023

qual a idade máxima para fazer empréstimo na caixa

Crédito consignado
Qual o numero maximo de parcelas para emprestimo consignado. Simulador saque fgts. O que é refinanciamento de emprestimo consignado.