Lua se encontra com Júpiter esta semana

julho 2, 2024
5 minutos lidos
Lua se encontra com Júpiter esta semana


Dando continuidade ao “passeio mensal” de julho pelos planetas do Sistema Solar, a Lua visitará Júpiter nesta quarta-feira (3). Nesta ocasião, o nosso maior vizinho aparecerá no céu muito próximo do satélite natural da Terra, num fenómeno conhecido como conjunção astronómica.

De acordo com o site In-The-Sky.org, isso acontece às 5h29 (todos os horários citados estão no fuso horário de Brasília). Nesse momento, a Lua passará pouco mais de 5º ao norte de Júpiter.

Configuração do céu no momento da conjunção entre Lua e Júpiter nesta quarta-feira (3). Crédito: SolarSystemScope

De São Paulo, o par será visível a partir de uma hora antes da conjunção, aparecendo 25° acima do horizonte noroeste, enquanto o Sol nasce às 6h25, fazendo o planeta desaparecer no brilho do dia.

Enquanto a Lua terá magnitude de -9,9, a de Júpiter terá -2,0, ambos na constelação de Touro. Quanto mais brilhante um objeto parece, menor é o seu valor de magnitude (relação inversa). O Sol, por exemplo, que é o corpo mais brilhante do céu, tem magnitude aparente de -27.

Antes de Júpiter, a Lua visitou Marte. Ainda neste mês, passará por Mercúrio (7), Saturno (24), Netuno (25), terminando novamente com Marte e Júpiter no mesmo dia (30). Essa série de conjunções que a Lua faz mensalmente ocorre porque ela orbita a Terra aproximadamente no mesmo plano em que os planetas orbitam o Sol, chamado de plano da eclíptica.

Consulte Mais informação:

A Grande Mancha Azul pode revelar os segredos magnéticos de Júpiter

Se pensarmos no oceano simplesmente como um grande corpo líquido, então o maior oceano do Sistema Solar está em Júpiter. Diferentemente dos mares terrestres, formados por água, o Oceano Júpiter é composto por hidrogênio em estado peculiar: líquido metálico, sujeito a imensas pressões e altas temperaturas.

A “Grande Mancha Azul”, uma vasta região circular perto do equador de Júpiter, é uma característica misteriosa do planeta. Crédito: NASA/SwRI/MSSS/Gerald Eichstädt/Seán Doran

As pesquisas mais recentes revelam a complexidade deste oceano. Mudanças significativas num curto período de quatro anos indicam uma dinâmica interna mais complexa, ligando eventos atmosféricos a anomalias magnéticas detectadas pela sonda Juno da NASA.

Comparável em forma ao campo magnético da Terra, mas vinte vezes mais poderoso, Júpiter tem um dipolo magnético, com pólos norte e sul conectados por linhas magnéticas. As peculiaridades surgem de elementos como a lua vulcânica Io, que gera plasma influenciando a magnetosfera, e uma longa faixa magnética no hemisfério norte.

No entanto, uma característica verdadeiramente enigmática é a “Grande Mancha Azul”, uma vasta região circular perto do equador de Júpiter – apesar do nome, a sua cor não é exatamente azul. Estudos recentes da sonda Juno revelam um jato atmosférico associado a esta mancha, apresentando variações periódicas em órbitas consecutivas. Saiba mais aqui.





empréstimo empresa privada

consulta bpc por nome

emprestimo consignado caixa simulador

seguro cartão protegido itau valor

itaú portabilidade consignado

simular emprestimo consignado banco do brasil

empréstimo consignado menor taxa

Crédito consignado
Quanto é o juros do emprestimo consignado. Como fazer o saque aniversário do fgts. Qual o numero maximo de parcelas para emprestimo consignado.