ULA quer recuperar prestígio perdido para a SpaceX nos EUA

julho 1, 2024
6 minutos lidos
ULA quer recuperar prestígio perdido para a SpaceX nos EUA


Na última década, a United Launch Alliance (ULA) enfrentou uma série de desafios desde que perdeu o domínio do mercado de lançamento espacial dos EUA para a SpaceX. Agora o consórcio entre a Boeing e a Lockheed Martin, luta para recuperar a sua posição face aos rápidos avanços da concorrência.

Vamos entender:

  • A ULA sempre foi o lançador oficial das missões espaciais dos EUA;
  • Com a ascensão da SpaceX, este monopólio foi ameaçado;
  • Com o tempo, a empresa de Elon Musk superou o seu principal rival nos contratos com o Pentágono;
  • O governo norte-americano busca outras alternativas para não depender exclusivamente de um único lançador;
  • A ULA se dedicou ao foguete Vulcan Centaur para reconquistar a confiança dos militares e garantir novos contratos.
Primeiro lançamento do foguete Vulcan Centaur da ULA em 8 de janeiro de 2024. Crédito: NASA TV

A ascensão da SpaceX, fundada por Elon Musk em 2002, transformou o cenário das viagens espaciais e tornou-se a empresa de lançamento de foguetes mais ativa do mundo. Consequentemente, nos últimos anos, consolidou-se como o principal parceiro das Forças Armadas dos EUA, realizando importantes missões que antes eram exclusivas da ULA.

Atraso no desenvolvimento do foguete faz com que ULA perca posição para a SpaceX

Enquanto a rival crescia, a ULA apostava no Vulcan Centaur, seu novo foguete destinado a substituir os mais antigos, movidos por motores russos. No entanto, problemas significativos de desenvolvimento atrasaram o cronograma, levando a críticas do Congresso dos EUA e do Pentágono.

Em entrevista com Jornal de Wall Street (WSJ), Tory Bruno, CEO da empresa, expressou determinação em acelerar a produção do Vulcan, destacando a importância das missões espaciais para a segurança nacional.

Segundo ele, a ULA tem trabalhado para aumentar a capacidade de sua fábrica em Decatur, no Alabama, reorganizando o espaço e mobilizando engenheiros para manter as linhas de produção funcionando. “Sabemos que muita gente depende de nós”, disse Bruno. “Estamos realmente pressionando para acelerar.”

Os desafios da ULA, no entanto, não se limitam apenas ao desenvolvimento do Vulcan. Há também pressões financeiras, com documentos da Lockheed Martin indicando um declínio nos lucros nos últimos anos. As discussões sobre a venda da empresa surgiram como uma possibilidade, colocando em dúvida o futuro da empresa e de seus cerca de três mil funcionários.

Consulte Mais informação:

A história da ULA começou em 2006, quando a Boeing e a Lockheed Martin combinaram os seus negócios de lançamento espacial, com apoio governamental, para garantir a disponibilidade contínua de foguetes para missões de segurança nacional. Durante anos, a empresa manteve um recorde impressionante de lançamentos para o Pentágono, realizando mais de 70 missões de segurança nacional entre 2007 e 2017.

Entretanto, a SpaceX lutou para obter acesso ao mercado de missões espaciais militares, conseguindo o seu primeiro contrato de lançamento com a Força Aérea em 2016, quando começou a desafiar o monopólio da ULA. Desde então, a empresa de Musk tem demonstrado sucesso com sua frota de foguetes parcialmente reutilizáveis, conhecidos por serem mais acessíveis, confiáveis ​​e capazes de lançamentos rápidos.

Decolagem de um foguete SpaceX Falcon 9, que derrubou o monopólio da ULA nos lançamentos espaciais do Pentágono em 2016. Crédito: SpaceX

O desenvolvimento do Vulcan Centaur pela ULA foi uma resposta à necessidade de se afastar dos motores russos nos foguetes Atlas V, um requisito estabelecido após a invasão da Crimeia pela Rússia em 2014. A empresa espacial de Jeff Bezos, Blue Origin, foi contratada para fornecer novos motores para o Vulcan. , mas enfrentou problemas significativos até mesmo para sua própria produção.

Vulcan Centaur voou pela primeira vez em janeiro

Apesar dos contratempos, a ULA finalmente lançou o Vulcan Centaur pela primeira vez em janeiro. Estão previstos planos para mais três lançamentos para este ano, com o objetivo de demonstrar ao Pentágono que o foguete pode operar conforme projetado. No entanto, a transferência de missões para a SpaceX devido a atrasos no desenvolvimento de veículos levantou questões sobre a capacidade da ULA de atender à crescente demanda dos EUA por lançamentos seguros e dentro do prazo.

O Congresso e o Pentágono expressaram preocupações sobre a dependência contínua de uma única empresa para serviços críticos de lançamento, enfatizando a necessidade de diversificação de fornecedores para promover a concorrência e reduzir custos. Visitas recentes às instalações da ULA e da Blue Origin foram realizadas para avaliar as capacidades de produção e explorar alternativas para garantir a resiliência do programa de lançamento espacial norte-americano.

À medida que a SpaceX continua a expandir as suas operações e a dominar o mercado de lançamentos dos EUA, o futuro da ULA permanece incerto, mas a empresa está determinada a recuperar a sua posição competitiva e provar a sua capacidade de realizar lançamentos fiáveis ​​e eficientes.





empréstimo empresa privada

consulta bpc por nome

emprestimo consignado caixa simulador

seguro cartão protegido itau valor

itaú portabilidade consignado

simular emprestimo consignado banco do brasil

empréstimo consignado menor taxa

Crédito consignado
Emprestimo cpfl crefaz. Refinanciamento de emprestimo consignado demora quanto tempo. Emprestimo cpfl crefaz.