Maior impacto de asteroide visto pela humanidade

julho 1, 2024
6 minutos lidos
Maior impacto de asteroide visto pela humanidade


Há 116 anos, a humanidade testemunhou a maior queda de asteroides já registrada na era moderna. O evento Tunguska ocorreu em 30 de junho de 1908, na Sibéria, parte do então Império Russo. O evento foi assinalado de tal forma que este dia é comemorado como o Dia Internacional do Asteróide.

Como explica Marcelo Zurita, presidente da Associação Paraibana de Astronomia, colunista do Olhar digital e coordenador regional do Dia do Asteroide, em sua coluna, o Dia Internacional do Asteroide começou a ser comemorado oficialmente em 2016. A definição foi dada pela ONU para um dia de conscientização pública sobre os asteroides, seu papel na formação do nosso sistema de energia solar e a importância de defender o nosso planeta de impactos futuros.

Controvérsias do evento Tunguska

Isto não significa, contudo, que o evento de Tunguska não seja motivo de debate nos círculos científicos até hoje. O fato de não ter sido encontrada nenhuma cratera relacionada à queda do objeto celeste, mesmo após diversas expedições e buscas, gerou diversas discussões no campo da astronomia.

Pesquisas recentes indicam que o que causou a explosão que devastou milhares de quilômetros quadrados na região próxima ao rio Podkamennaya Tunguska foi causado pelo deslocamento de ar resultante da destruição do asteroide ao entrar na Terra.

Para se ter uma ideia do tamanho da destruição causada pelo Asteroide, estima-se que a explosão tenha sido entre 5 e 30 megatons de TNT, algo equivalente a mil vezes a bomba de Hiroshima. Felizmente, Vanavara, a cidade mais próxima do local da explosão, estava a mais de 60 km de distância e não foi destruída pelo evento. Nenhuma morte do Tunguska foi confirmada, apesar de algumas especulações.

Evento Tunguska (Imagem: Kulik)

Contudo, isso não impediu que 2.000 km² de floresta fossem devastados. Os moradores de Vanavara puderam ver a enorme bola de fogo no céu. Nos dias que se seguiram, os céus noturnos da Ásia e da Europa estavam incandescentes e a explosão foi registada em diversas estações sísmicas do continente.

Nos anos seguintes, diversas expedições foram realizadas na região em busca de crateras. A primeira delas do russo Leonid Kulik. Apesar de vários buracos localizados, nenhum deles foi considerado como tendo sido alvo do impacto do asteroide.

Consulte Mais informação:

Evento de Tunguska foi extremo

“Foi muito chocante, pois foi um dos eventos de maior impacto que a humanidade já presenciou”, explica Zurita. “Até hoje ainda há polêmica sobre o que causou esse impacto. Há quem fale de um cometa que teria caído aqui e por ser maioritariamente feito de gelo teria sido vaporizado e por isso não temos fragmentos de meteoritos associados a esta queda”, acrescenta.

Há também um segundo aspecto comentado por Zurita. Desde hoje sabemos que um asteroide rochoso também pode ser destruído na atmosfera. O astrônomo comenta que não foram encontradas crateras no local onde o corpo celeste poderia ter caído. “Há um lago onde se suspeita que possa ter recebido o impacto, mas até à data nada foi confirmado”, conclui.

Tunguska
Parte da devastação causada pelo Evento de Tunguska em 1908 – Imagem: Academia Soviética de Ciências

Embora não tenha havido mortes confirmadas no evento, moradores da cidade de Vanavara viram a bola de fogo e sentiram o calor

Na hora do café da manhã, eu estava sentado ao lado da casa do Vanavara Trading Post [65 quilômetros ao sul da explosão]voltado para o norte. […] De repente, vi que diretamente ao norte, sobre a estrada de Tunguska vindo de Onkoul, o céu se dividiu em dois e o fogo apareceu alto e amplo sobre a floresta [como Semenov mostrou, cerca de 50 graus acima – nota de expedição]. A divisão no céu ficou maior e todo o lado norte ficou coberto de fogo. Naquele momento fiquei com tanto calor que não aguentei, como se minha camisa estivesse pegando fogo; Do lado norte, onde estava o fogo, veio um forte calor. Tive vontade de arrancar minha camisa e jogá-la, mas então o céu se fechou e um baque forte soou e fui jogado a alguns metros de distância.

S. Semenov, para Kulik,

Testemunhas a centenas de quilômetros de distância sentiram ondas de choque e ouviram explosões que lembravam o som de canhões. Relatos de moradores descrevem cenas assustadoras. “De repente ficou muito brilhante, como se um segundo sol tivesse aparecido”, diz uma testemunha. “Meus olhos doíam, parecia um raio. Então ouvi um estrondoso estrondoso. A manhã estava ensolarada e então apareceu um segundo sol!”





empréstimo empresa privada

consulta bpc por nome

emprestimo consignado caixa simulador

seguro cartão protegido itau valor

itaú portabilidade consignado

simular emprestimo consignado banco do brasil

empréstimo consignado menor taxa

Crédito consignado
Simular saque fgts.