Satélite que será lançado amanhã contará com instrumento para monitorar o Sol

junho 25, 2024
5 minutos lidos
Satélite que será lançado amanhã contará com instrumento para monitorar o Sol


O Sol tem estado em intensa atividade à medida que o máximo solar se aproxima e por isso, os pesquisadores estão desenvolvendo formas de monitorá-lo, como o lançamento do GOES-U. O satélite deverá ser lançado no dia 25 de junho e terá um coronógrafo que permitirá observar as manchas solares quase em tempo real.

  • O coronógrafo é um instrumento utilizado para observar a camada mais externa da atmosfera do Sol, a coroa solar;
  • Bloqueia a luz intensa da estrela, permitindo que apenas a luz mais fraca da coroa seja capturada;
  • Isto torna possível detectar explosões solares e as ejeções de massa coronal (CMEs) que as acompanham.
Os coronógrafos bloqueiam a luz intensa da estrela, permitindo que apenas a coroa solar seja observada (SOHO via Spaceweather.com)

De acordo com Espaço.com, atualmente temos ferramentas voltadas para o Sol e que foram importantes para detectar e investigar as poderosas tempestades geomagnéticas ocorridas recentemente. No entanto, estes instrumentos estão a envelhecer e não são atualizados com tanta frequência, principalmente porque foram desenvolvidos para investigação e não para monitorização.

Um exemplo é o Observatório Solar e Heliosférico (SOHO) da ESA, lançado em 1996 e que transporta o Large Angle and Spectrometric Coronagraph Experiment (LASCO) da NASA, um instrumento composto por três cronógrafos. Ele fornece dados da coroa solar e pode detectar quando há atividade, porém, devido ao seu envelhecimento, não consegue revelar exatamente o que está acontecendo. Além disso, acredita-se que sua vida útil seja até 2026.

Consulte Mais informação:

Um novo coronógrafo monitorará o Sol

Agora, o GOES-U da NOAA levará o Compact Coronagraph-1 (CCOR-1) do Laboratório de Pesquisa Naval ao espaço. Este será o primeiro coronógrafo operacional nos Estados Unidos, sendo administrado pela NASA e financiado e operado pela NOAA. Espera-se que forneça informações rápidas e detalhadas sobre as CMEs, como tamanho, densidade e velocidade com que viajam.

Representação artística de uma tempestade solar voltada para a Terra. (Crédito: Artsiom P/Evgeniyqw – Shutterstock)

Os pesquisadores por trás do satélite destacam que o instrumento oferecerá dados a cada 30 minutos, diferente do intervalo de 8 horas do LASCO. Além disso, as imagens ficarão mais limpas, pois o CCOR-1 foi desenvolvido para reduzir os impactos causados ​​por grandes tempestades geomagnéticas.

Pela primeira vez teremos a possibilidade de obter um eclipse artificial, um eclipse total do Sol, a cada 30 minutos. Isso nos dará uma capacidade realmente boa neste momento. Será um detector melhor, por isso obteremos alta resolução nas ejeções de massa coronal e o instrumento será projetado para ser mais resistente.

Elsayed Talaat, Diretor do Escritório de Observações do Clima Espacial da NOAA do Serviço Nacional de Satélites, Dados e Informações Ambientais (NESDIS), em resposta ao Espaço.com





empréstimo empresa privada

consulta bpc por nome

emprestimo consignado caixa simulador

seguro cartão protegido itau valor

itaú portabilidade consignado

simular emprestimo consignado banco do brasil

empréstimo consignado menor taxa

Crédito consignado
Simulação emprestimo fgts caixa.