Tesouro bilionário de naufrágio é motivo de batalha judicial

junho 24, 2024
5 minutos lidos
Tesouro bilionário de naufrágio é motivo de batalha judicial


Um tesouro avaliado em cerca de US$ 20 bilhões (cerca de R$ 98 bilhões) permanece nas profundezas do Mar do Caribe há mais de três séculos. Ouro, prata e esmeraldas eram transportados pelo galeão espanhol San José. O episódio é conhecido como o “Santo Graal dos naufrágios”. Vários planos já foram traçados para recuperar o material, mas há um obstáculo: afinal, quem é o dono desse tesouro?

consulte Mais informação

Galeão espanhol afundando (Imagem: Presidência da Colômbia)

A história do naufrágio

  • O naufrágio do galeão espanhol San José é um acontecimento histórico ocorrido em 8 de junho de 1708, durante a Guerra da Sucessão Espanhola.
  • O San José era um navio de guerra espanhol que fazia parte da frota do Império Espanhol.
  • Estava carregado com uma grande quantidade de tesouros, incluindo ouro, prata e pedras preciosas, destinados a financiar as operações militares do rei Filipe V da Espanha na América do Sul.
  • O galeão San José foi atacado por uma frota britânica liderada pelo almirante britânico Charles Wager e afundou na costa de Cartagena, na Colômbia.
  • O naufrágio resultou na perda do navio e de sua valiosa carga.
  • O evento se destaca pela importância histórica devido à significativa quantidade de riquezas que foram perdidas.
O tesouro do naufrágio consiste em ouro, prata e esmeraldas (Imagem: Ministério da Cultura da Colômbia)

Disputa envolve empresa, países e até grupo indígena

Recentemente, o governo colombiano apresentou um plano de ação para resgatar a riqueza. Este é um dos capítulos mais recentes de uma intensa batalha jurídica que parece longe de terminar.

A empresa norte-americana Glocca Morra, hoje conhecida como Sea Search Armada, afirma ter descoberto a localização do galeão em 1981. Entregou esta informação ao governo colombiano com a promessa de receber metade das riquezas encontradas.

Porém, em 2015, o então presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, afirmou que a marinha do país havia encontrado os destroços do San José em uma área diferente do fundo do mar. A Sea Search Armada contestou a informação e sugeriu que se tratava de um esquema das autoridades colombianas para ficar com todo o tesouro.

Para complicar tudo, a Espanha também reivindicou o seu direito ao material, alegando que o San José era um navio espanhol. O Peru e o Panamá afirmam que as riquezas foram originalmente roubadas das suas terras, o que lhes daria o direito de explorar os bens dos naufrágios.

Um grupo indígena da Bolívia também opinou sobre o assunto. Os Qhara Qhara destacam que seus ancestrais foram forçados pelos colonizadores a retirar tesouros de sua terra natal.





empréstimo empresa privada

consulta bpc por nome

emprestimo consignado caixa simulador

seguro cartão protegido itau valor

itaú portabilidade consignado

simular emprestimo consignado banco do brasil

empréstimo consignado menor taxa

Crédito consignado
Qual o numero maximo de parcelas para emprestimo consignado.