Lince ibérico recupera da beira da extinção, aclamado como “a maior recuperação de uma espécie felina alguma vez alcançada”

junho 20, 2024
3 minutos lidos
Lince ibérico recupera da beira da extinção, aclamado como “a maior recuperação de uma espécie felina alguma vez alcançada”


As coisas estão a melhorar para o lince ibérico. Há pouco mais de duas décadas, o gato selvagem de orelhas pontudas estava à beira da extinção, mas a partir de quinta-feira a União Internacional para a Conservação da Natureza afirma que já não é uma espécie em extinção.

Esforços de conservação bem sucedidos significam que o animal, nativo de Espanha e Portugal, é agora apenas uma espécie vulnerável, de acordo com a versão mais recente do Lista Vermelha da IUCN.

Em 2001, existiam apenas 62 linces ibéricos maduros (gatos castanhos malhados, de tamanho médio, com orelhas pontudas características e um par de tufos de pêlos faciais semelhantes a barbas) na Península Ibérica. O desaparecimento da espécie esteve intimamente relacionado com o da sua principal presa, o coelho europeu, bem como com a degradação do habitat e a atividade humana.

De acordo com WWF, o lince ibérico também come patos, veados jovens e perdizes se a densidade de coelhos for baixa. Um lince adulto precisa de cerca de um coelho por dia, mas uma mãe precisa capturar cerca de três para alimentar seus filhotes.

Recuperação do lince espanhol
Um lince ibérico caminha com um coelho na boca depois de capturá-lo no Parque Nacional de Doñana, em Aznalcázar, Espanha, na quinta-feira, 5 de abril de 2019.

Antonio Pizarro/AP


Foram disparados alarmes e iniciados projectos de reprodução, reintrodução e protecção, bem como esforços para restaurar habitats como florestas densas, matagais mediterrânicos e pastagens. Mais de duas décadas depois, em 2022, as reservas naturais do sul de Espanha e de Portugal continham 648 exemplares adultos. O último censo, do ano passado, mostra que há mais de 2.000 adultos e jovens, disse a UICN.

“É um sucesso realmente enorme, um aumento exponencial no tamanho da população”, disse Craig Hilton-Taylor, chefe da unidade da Lista Vermelha da IUCN, à Associated Press.

Uma das chaves para a sua recuperação tem sido a atenção dada à população de coelhos, que foi afectada pelas mudanças na produção agrícola. A sua recuperação levou a um aumento constante na população de linces, disse Hilton-Taylor.

“A maior recuperação de uma espécie felina alguma vez conseguida através da conservação (…) é o resultado de uma colaboração empenhada entre organismos públicos, instituições científicas, ONG, empresas privadas e membros da comunidade, incluindo proprietários locais, agricultores, guardas florestais e caçadores” , Francisco Javier Salcedo Ortiz, que coordena o programa financiado pela UE Projeto LIFE Lynx-Connectele disse em um comunicado.

A UICN também trabalhou com as comunidades locais para aumentar a sensibilização para a importância do lince ibérico no ecossistema, o que ajudou a reduzir as mortes de animais devido à caça furtiva e atropelamentos. Em 2014, 22 dos animais foram mortos por veículos, segundo o WWF.

FOTO DO ARQUIVO: Urki, um lince ibérico macho, um felino ameaçado de extinção, é solto na Serra de Arana, sul da Espanha
Urki, um lince ibérico macho, é libertado juntamente com outros quatro linces no âmbito do projeto europeu ‘Life LynxConnect’ para recuperar esta espécie, na Serra de Arana, em Iznalloz, perto de Granada, sul de Espanha, a 20 de fevereiro de 2024.

Jon Nazca/REUTERS


Além disso, os agricultores recebem uma compensação se os gatos matarem algum dos seus animais, disse Hilton-Taylor.

Desde 2010, mais de 400 linces ibéricos foram reintroduzidos em partes de Portugal e Espanha, e agora ocupam pelo menos 3.320 quilómetros quadrados, um aumento em relação aos 449 quilómetros quadrados em 2005.

“Temos que considerar tudo antes de libertar um lince, e a cada quatro anos ou mais revisamos os protocolos”, disse Ramón Pérez de Ayala, diretor do projeto de espécies do World Wildlife Fund em Espanha. O WWF é uma das ONGs envolvidas no projeto.

Embora a última atualização da Lista Vermelha ofereça esperança para outras espécies na mesma situação, o lince ainda não está fora de perigo, diz Hilton-Taylor.

A maior incerteza é o que acontecerá com os coelhos, animal vulnerável a surtos de vírus, bem como outras doenças que podem ser transmitidas por animais domésticos.

“Também estamos preocupados com as questões relacionadas com as alterações climáticas, com a forma como o habitat responderá às alterações climáticas, especialmente com o impacto crescente dos incêndios, como temos visto no Mediterrâneo nos últimos dois anos”, disse Hilton-Taylor.

PARA Estudo de 2013 Alertou que o lince ibérico poderá ser extinto nos próximos 50 anos devido aos efeitos das alterações climáticas.

Na próxima semana, a UICN publicará uma atualização mais ampla da Lista Vermelha que serve como barômetro da biodiversidade, informou a Reuters.



empréstimo bpc

simulação de emprestimo juros

melhores taxas emprestimo consignado

banco do brasil simulação de emprestimo consignado

não foi possível buscar seus créditos inss

como reduzir parcelas de emprestimo consignado

qual o juros de emprestimo

Crédito consignado
Simulação antecipação saque aniversário. Inss emprestimo consignado. Saque fgts aniversário.